Barcelona, chegou a altura de darmos um tempo

Já muito se escreveu sobre Barcelona e são poucas as pessoas que não morrem de amores por esta cidade. Eu sou definitivamente uma dessas pessoas, já perdi a conta às vezes que lá fui e é certo que me apaixono sempre mais um bocadinho a cada regresso.

Sempre associei Barcelona ao Porto e Madrid a Lisboa. Em escalas e proporções diferentes é certo, mas talvez por isso me identifique tanto com a vida deste lugar. Digo muitas vezes que me imagino mil vezes a viver aqui: pela diversidade, pela comida, pela oferta cultural.

Filipa, Passeio da Grácia, BarcelonaGuilherme, Starbucks em Barcelona

Agora, se os catalães me iam querer lá isso já é outra história. A cidade está cada vez mais inundada de turistas e os cartazes nas varandas ou os graffitis nas paredes a mandar-nos embora foram das coisas que mais me saltaram à vista desta última vez.

Saí de Barcelona com aquela sensação de “voltava já amanhã” e, ao mesmo tempo, “não, esquece, eles estão fartos de ti”. Não quero ser injusta com aquela que é uma das minhas cidades de eleição mas, apesar de manter o encanto que sempre lhe conheci, nunca me tinha sentido tão mal recebida.

Panorâmica do Mercado La Boqueria, BarcelonaFilipa no Mercado La Boqueria, BarcelonaFruta fresca no Mercado La Boqueria, BarcelonaGuilherme no mercado La Boqueria, BarcelonaSumo de Kiwi, Mercado La Boqueria, Barcelona

Por isso, em nome de todos os turistas, desde os que andam 24 horas em excursão, aos que usam selfie sticks como se fossem uma extensão dos braços ou simplesmente aqueles que te querem conhecer verdadeiramente e vaguear pelos teus recantos, devo-te um pedido de desculpas Barcelona. Não queremos mudar-te nunca, acredita, mas às vezes torna-se difícil, ou praticamente impossível, ficar-te indiferente. Tu, tal como a Sagrada Familia, estás sempre a crescer mas nunca serás uma obra acabada.

Filipa na Sagrada Família, Barcelona

Nunca pensei dizer isto mas acho que chegou a altura de darmos um tempo. Conheço quase todas as tuas qualidades e manhas. Olho para ti com uma certa vontade de um dia também poderes vir a ser minha mas sabendo que nunca o vais ser porque és demasiado independente para deixar que isso aconteça.

Vou sempre olhar para ti com carinho e dar-te força quanto te vir na televisão porque sei que, nos próximos tempos, tens muito pela frente para resolver. Também sei que vais ser bem sucedida, para o que der e vier. Se há coisa que não te falta é personalidade e é por isso mesmo que gosto tanto de ti.

Filipa no Starbucks, BarcelonaCopo do Starbucks, Barcelona

Espero que, no futuro, nos possamos encontrar com a mesma alegria das primeiras vezes, tal como duas grandes amigas que não se veem há muito tempo mas que, no reencontro, sentem que nunca deixaram verdadeiramente de se ver.

Guilherme e Filipa, Barcelona

2 comments

Submit a comment

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s